Recife dá o primeiro passo para implantar o Cartão Material Escolar

Com apoio da ADISPA, vereador Marco Aurélio Filho apresentou os benefícios do programa para um auditório lotado de varejistas

Guia do CME: O que posso (e não posso) vender pelo Cartão Material Escolar?

Pais e alunos têm liberdade de escolha na hora de comprar o material escolar, desde que os itens façam parte das listas oficiais

Fala, papelaria: Revir

Graças ao Cartão Material Escolar, papelaria de São Paulo expandiu o negócio e conta hoje com cinco unidades

Últimas
Notícias

O que é

O CARTÃO MATERIAL ESCOLAR?
O Cartão Material Escolar (CME) é um benefício que possibilita que os pais dos alunos da rede municipal adquiram os materiais escolares de seus filhos por meio de um cartão ou aplicativo nas papelarias cadastradas no programa pela Secretaria de Educação.

como ter

O CARTÃO MATERIAL ESCOLAR
NA SUA CIDADE?
Levar o CME para sua cidade é muito simples. É preciso primeiro elaborar um projeto lei e levar para a Câmara dos Vereados e Prefeito, e envolver as associações comerciais de sua cidade.

Quem tem

direito ao benefício

Para vender pelo Cartão Material Escolar (CME), é necessário atender alguns critérios. Os mais comuns são:

  • Ser um estabelecimento que comercializa materiais escolares.
  • Ser pessoa jurídica.
  • Possuir toda a documentação válida conforme as condições estabelecidas no edital.
  • Possuir toda a documentação válida conforme as condições estabelecidas no edital.
  • Conhecer e concordar com as regras estipuladas no Edital de Credenciamento.
  • Ter um estande de vendas ou loja física na cidade.
  • Emitir Nota Fiscal Eletrônica.
  • Comprometer-se a fornecer itens que atendam à qualidade exigida nas especificações técnicas.

Para a cidade de São Paulo, o cadastro pode ser realizado clicando aqui .

DÚVIDAS
FREQUENTES

O Cartão Material Escolar (CME) é um benefício oferecido por prefeituras e governos que permite aos pais de alunos da rede pública comprar materiais escolares para seus filhos em papelarias cadastradas, usando um cartão ou aplicativo.

ADISPA (Associação dos Distribuidores de Papelaria)

ABIGRAF (Associação Brasileira da Indústria Gráfica)

ABFIAE (Associação Brasileira de Fabricantes e Importadores de Artigos Escolares)

Escolar Office Brasil

O primeiro passo é buscar a adesão do Legislativo (Câmara de Vereadores, Assembleia Legislativa) e do Executivo (Prefeito, Governador). Além disso, é fundamental envolver as entidades de classe locais (associações comerciais, sindicatos) no processo.

Para participar do CME, é necessário que o estabelecimento atenda aos seguintes critérios:

– Ser um estabelecimento que comercializa materiais escolares.

– Ser pessoa jurídica.

– Possuir toda a documentação válida conforme as condições estabelecidas no edital.

– Ter um estande de vendas ou loja física na cidade.

– Emitir Nota Fiscal Eletrônica.

– Comprometer-se a fornecer itens que atendam à qualidade exigida nas especificações técnicas.

Têm direito ao benefício os alunos regularmente matriculados na rede pública municipal ou estadual de ensino. Em algumas localidades, é necessário estar cadastrado no Bolsa Família ou programa assistencial similar. O valor do benefício varia de uma localidade para outra.